domingo, 18 de junho de 2017

Hienas

Hienas. Estes animais que estão muitas vezes associadas à sujidade e à necrofagia, são odiados por muitos. Mas, será que eles são mesmo assim? Na realidade, há muitas coisas que as pessoas não sabem sobre as hienas, desde a sua origem até à sua alimentação. Desde o seu parentesco até ao seu comportamento. Desde o seu habitat até à sua natureza em geral. Reflectidas em quatro espécies modernas, o mundo das hienas será revelado.


As hienas são mamíferos carnívoros ou omnívoros da ordem Carnivora e da família Hyaenidae, que pertence à subordem Feliformia (que também constitui os felinos, as civetas e os mangustos). É a quinta família mais pequena da ordem Carnivora (maior que os nandinídeos, prionodontídeos, ailurídeos e odobenídeos (respectivamente, civetas-das-palmeiras, linsangs asiáticos, pandas-vermelhos e morsas). Todas as espécies existem em África e desempenham um importante papel no ecossistema desse continente.




Apesar de as hienas serem mais aparentadas com os gatos, civetas e mangustos, possuem grandes semelhanças com os canídeos, por serem predadores exclusivamente terrestres, corredores e que derrubam as presas com os dentes, em vez das garras. As hienas e os canídeos, ambos, comem rápido e correm rápido. No enatnto, os comportamentos sociais assemelham-se mais aos dos seus parentes mangustos.




As hienas-malhadas (à esquerda) matam 95% daquilo que comem, enquanto que as hienas-riscadas (à direita) são essencialmente necrófagas. Apesar de a cultura popular considerar estes animais como cobardes, na realidade estão especialmente adaptados para afugentar grandes predadores, como os leões e os leopardos das suas matanças. Em geral, as hienas são nocturnas. As hienas, em geral, não são sociais, com a excepção da hiena-malhada, mas é provável haver junção de indivíduos para a caça ou para o acasalamento, vivendo por vezes em grupos familiares.


As hienas surgiram no Oligocénico, há 25 milhões de anos, dividindo-se, rapidamente, em duas linhagens: as hienas-tipo cão e as hienas quebra-ossos. Apesar de a linhagem das hienas-tipo cão, que constituía hienas de pequeno porte, ter proliferado no passado, foi praticamente extinta nos últimos tempos. O último sobrevivente dessa linhagem foi o lobo-da-terra, deixando a linhagem das hienas quebra-ossos como os necrófagos de topo da Eurásia e África.

As hienas tiveram um papel proeminente na cultura humana. As hienas são vistas como assustadoras e demoníacas, e estavam muitas vezes associadas com bruxaria. Por vezes, são retratadas como influenciadoras do espírito das pessoas, provavelmente devido aos seus actos demoníacos que envolvem rapto de cadáveres do cemitério, roubo de gado e captura de crianças!





Nome: Hiena-malhada (Crocuta crocuta)
Tamanho: 1,65 metros de comprimento
Alimentação: Répteis, aves e mamíferos
Habitat: Savana
Local: África subsaariana
Tipo: incertae sedis (ramo taxonómico incerto)

A hiena-malhada é a maior e mais conhecida de todas as hienas. Esta hiena deve ser uma das mais bem sucedidas. Em tempos antigos, esta espécie já existiu na Europa e Ásia, na forma da hiena-das-cavernas. A hiena-das-cavernas era uma hiena que se adaptou a viver nos climas frios da Idade do Gelo, e deve ter influenciado a história da humanidade desde que esta se aventurou para fora de África. A hiena-das-cavernas acabou por ser extinta no final da Idade do Gelo.
Hoje, o que resta da espécie existe em África. Mas o seu declínio está longe de colocar esta espécie na lista das espécies ameaçadas. Este predador é mais um caçador do que um carniceiro, preferindo matar antílopes, javalis, zebras, avestruzes, búfalos e jovens girafas, com a força de grupo. Esta é a única hiena que vive em grupos sociais estabelecidos.
Ao contrário dos canídeos sociáveis, as hienas-malhadas não têm um macho alfa. Pelo contrário, os machos são os membros mais menosprezados de todo o clã. Existe uma matriarca que estabelece um domínio sobre as outras fêmeas, havendo uma intensa hierarquia entre as fêmeas. A seguir, no ranking hierárquico, temos as crias, que são o bem precioso do clã e precisam de ser protegidos. E no final temos os machos.
As hienas-malhadas possuem uma mordida forte, capaz de quebrar ossos. Estas intensas máquinas de matar são muito mais bem adaptáveis do que um grupo de leões, pois conseguem aproveitar uma boa parte da carcaça. Estes dois predadores facilmente entram em disputas, não porque querem que isso aconteça, mas porque ambos têm vantagens semelhantes de caça. O leão é retratado como o rei da selva, mas a hiena é o príncipe maquiavélico das planícies africanas... e assim continuará!
Outra curiosidade sobre esta espécie é a de que o seu sistema reprodutor é bizarro. As fêmeas possuem aquilo que se chama de "pseudo-pénis", pois o seu clitóris tem uma forma semelhante à do pénis e é mesmo capaz de erecção! A fêmea também não possui uma vagina externa, pois os lábios desta formam uma espécie de "pseudo-escroto"! Não se sabe porque é que as fêmeas evoluíram um sistema reprodutor semelhante ao do macho. De qualquer maneira, a fêmea continua a ser incapaz de produzir esperma como os machos, sendo que a semelhança não tenha qualquer função.


Nome: Hiena-riscada (Hyaena hyaena)
Tamanho: 1,3 metros de comprimento
Alimentação: Répteis, aves, mamíferos e plantas
Habitat: Savanas, desertos, montanhas, estepes e selvas
Local: África do Norte e Oriental, Médio Oriente, Índia e Cáucaso
Tipo: Hyaena (hienas necrófagas)

Esta hiena é a com a maior distribuição geográfica. Existe na África, estendendo-se até ao Sudoeste Asiático e chegando até à Europa, nos vales do Cáucaso. Esta hiena é oportunista, vagueando as planícies secas em busca de carcaças e animais feridos ou fracos. Apesar de não ser, por norma, perigoso, este animal já foi registado a atacar seres humanos. Vivem aos pares, sendo que um casal de hienas vive junto para a vida, criando as suas crias. Quando atacada por predadores maiores, como leões, leopardos e tigres, costuma fugir, mas também pode impor a sua força. Outro comportamento mais bizarro envolve fingir-se de morto, um comportamento adoptado também por alguns mamíferos carnívoros, mais pequenos.


Nome: Lobo-da-terra (Proteles cristata)
Tamanho: 80 centímetros de comprimento
Alimentação: Térmitas, essencialmente
Habitat: Deserto e savana
Local: África Austral e Oriental
Tipo: incertae sedis

O lobo-da-terra é a hiena mais pequena de todas, do tamanho de uma raposa. Ao contrário das outras, nitidamente maiores e mais agressivas, é inofensivo para o ser humano. Alimenta-se exclusivamente de térmitas e de outros invertebrados. De facto, evita muitas vezes a carne, sendo que a ocasional observação desta hiena numa carcaça deva-se à sua procura por larvas que se alimentem do animal morto. Esta estratégia de obter alimento acabou por ser crucial para a sua sobrevivência no deserto.
Esta hiena é a última de uma linhagem, outrora muito abundante, de hienas pequenas e ágeis, conhecidas por hienas-tipo cão. A maior parte delas acabou por ser extinta, por competição com os canídeos, como as raposas, chacais, lobos e cães-selvagens. Apenas uma espécie sobreviveu: o lobo-da-terra. Esta hiena escapou das garras da extinção ao adoptar um método de alimentação insectívoro. Sendo assim, esta hiena não sofria competição com os canídeos, pois estes não ocupavam esse nicho ecológico. Também não era necrófaga, sendo que não competia com as outras hienas. Hoje, é uma das hienas menos ameaçadas de extinção e os conservacionistas prevêem um futuro promissor para esta espécie.


Nome: Hiena-castanha (Hyaena brunnea)
Tamanho: 1,6 metros de comprimento
Alimentação: Mamíferos e aves
Habitat: Deserto e savana
Local: África Austral
Tipo: Hyaena

A hiena-castanha é, possivelmente, a mais rara de todas as hienas. Possui uma distribuição geográfica limitada ao sul do continente africano. É um parente da hiena-riscada, sendo que ambas as espécies constam entre as hienas mais ameaçadas do mundo.
A hiena-castanha é a segunda maior hiena. É essencialmente necrófaga, roubando as carcaças de leões, leopardos e chitas. Uma vez que a hiena-castanha chega a uma carcaça, nenhum outro animal tem direito sobre esta, a não ser se houver uma hiena-malhada, um leopardo, um grupo de chitas ou um leão esfomeado por perto. A hiena-malhada está perfeitamente adaptada a patrulhar o deserto em busca de animais mortos ou enfraquecidos. Entre as suas presas constam-se as cabras-de-leque, órixes, leões-marinhos, pinguins e outras aves.
As hienas-castanhas são menos agressivas que as hienas caçadoras, como a hiena-malhada. Isto levou a que certos exemplares fossem apanhados ocasionalmente para o mercado de animais exóticos. O seu parente, a hiena-riscada, foi a hiena mais domesticada no passado. Desde os tempos do Antigo Egipto, estes carniceiros foram, tentativamente, domesticados como cães. Apesar de uma hiena domesticada não ser impossível de acontecer, nunca é a melhor ideia, pois estes animais precisam de crescer no habitat natural para que possam desenvolver os seus comportamentos de forma saudável, pelo bem do animal e dos humanos!

Sem comentários:

Enviar um comentário