segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Répteis II

Os répteis são o resultado de evolução de vários grupos de animais hoje existentes, como os mamíferos e as aves. Nesta 2ª versão de répteis, vai ser falado mais detalhadamente sobre o geral acerca dos répteis vivos e extintos.


Os répteis são vertebrados terrestres e de sangue frio, ou seja a temperatura do corpo não se mantém constante. Daí haverem poucos répteis nos pólos onde não saibam controlar a temperatura do corpo. Sem contar com os mamíferos e aves, os répteis actuais dividem-se em Crocodilia (crocodilos), Testudinea (tartarugas), Rhynchocephalia (tuataras) e Squamata (lagartos, cobras e licranços).

No entanto, a pele dos répteis é resistente com escamas duras e compactas. As do crocodilo são muito duras e úteis contra outros rivais. Muitos dos répteis são coloridos e têm dimorfismo sexual e a maioria põe ovos, para além de algumas excepções como o lagarto-vivíparo e a cobra-de-pernas.


Os répteis não possuem uma temperatura corporal constante daí eles dominarem zonas tropicais e subtropicais, apesar de alguns, como estas cobras-garter viverem em zonas polares. As cobras-garter juntam-se em enormes massas de serpente para se aquecerem depois do Inverno. A maioria dos répteis são ovíparos (põem ovos) e são carnívoros. As cobras são um exemplo e todas as espécies são estritamente carnívoras, mesmo comparado com crocodilos que enriquecem a sua dieta com algumas bagas e frutos.

Alguns répteis extintos incrivelmente conhecidos são os dinossauros que, a partir da classificação filogenética, ainda estão vivos devido aos seus descendentes as aves. Durante 150 milhões de anos que os dinossauros têm dominado em terra, enquanto que outros répteis dominavam o ar, como os pterossauros, e no mar, como variadas espécies de répteis marinhos.



Réptil em plural, diz-se répteis, mas também se pode dizer réptis.

Originalmente, os répteis constituem todos os grupos hoje vivos (crocodilos, tartarugas, cobras, lagartos, licranços e tuataras) e todos os outros amniotas extintos não mamíferos ou aves. Classificam os répteis actuais como escamosos, crocodilianos e quelónios. Já a classificação filogenética sufere que os mamíferos e aves também são répteis.



O primeiro réptil poderia ser anapsídeo, quer dizer que o crânio só tem orifícios para os olhos, para o nariz, boca, ouvidos e medula espinal. O primeiro réptil foi o Hylonomus em que o fóssil foi descoberto num toro escavado pela erosão que continha o réptil morto. Ainda há controvérsias se as tartarugas foram os últimos anapsídeos até hoje. Doutra maneira, os répteis dividem-se em três linhagens evolutivas: uma que evoluiu para os mamíferos, outra que evoluiu para os lagartos, cobras, licranços e tuataras e outro que evoluiu para os crocodilos e aves.



As principais características dos répteis são:

  • Corpo coberto com escamas secas e compactas.
  • Dois pares de patas com cerca de 5 dedos (excepto cobras, licranços e cobras-de-vidro sem patas).
  • Esqueleto interno completamente ossificado
  • Coração dividido em 3 cavidades (excepto crocodilos com 4 cavidades).
  • Respiram por pulmões, podem entrar em estado de letargia.
  • 12 pares de nervos cranianos.
  • Temperatura corporal variável
  • Ovíparos, vivíparos ou ovovíviparos.
  • Segmentação miroblástica durante o desenvolvimento embrionário.
  • Musculatura desenvolvida em Squamata e Crocodilia, mas em Testudinea desenvolve musculatura principalmente no pescoço.



Para além das quatro ordens hoje existentes de répteis, ainda haviam muitas, muitas outras na pré-história como este mesossauro do período Triásico, adaptado para a vida marinha.

Aqui temos as ordens de répteis extintas:

  • Pelycosauria (310-270 M.a.) constituía répteis-mamíferos com vela dorsal, ou não, e que tinha como exemplo o Dimetrodon.
  • Therapsida (275-100 M.a.) constituía répteis-mamíferos, alguns cobertos com pêlo e a maioria possuía presas para matar presas e arrancar plantas.
  • Captorhinida (310-250 M.a.) constituía répteis relativamente lentos e primitivos, prováveis antepassados das tartarugas.
  • Mesosauria (300-280 M.a.) constituía répteis marinhos primitivos semelhantes a crocodilos (na imagem).
  • Procolophonomorpha (270-200 M.a.) parentes antigos das tartarugas com armadura, por exemplo o Scutosaurus.
  • Araeoscelidia (310-250 M.a.) répteis primitivos, semelhantes a lagartos, antepassados dos Squamata.
  • Avicephala (300-200 M.a.) constituíam répteis que lembravam lagartos-voadores, enquanto que o Longisquama tem as misteriosas longas escamas semelhantes a penas.
  • Younginiformes (300-200 M.a.) outros répteis marinhos primitivos com uma enorme cauda espalmada para nadar.
  • Thalattosauria (250-200 M.a.) répteis marinhos semelhantes a pliossauros a que não se sabe ao certo o seu parente mais próximo.
  • Ichthyopterigia (245-90 M.a.) são os ictiossauros, répteis marinhos com o corpo semelhante ao de um peixe.
  • Placodontia (235-200 M.a.) répteis marinhos semelhantes a iguanas-marinhas ou tartarugas que tinham dentes achatados para esmagar crustáceos.
  • Nothosauroidea (250-200 M.a.) répteis marinhos com patas, corpo esguio e um pescoço comprido, mediam em média 2 metros.
  • Plesiosauria (205-65 M.a.) répteis marinhos gigantes com longas mandíbulas de dentes salientes e quatro nadadeiras, alguns, como o Elasmosaurus possuíam um pescoço muito comprido.
  • Prolacertiformes (275-230 M.a.) répteis marinhos ou arborícolas como o Sharovipteryx com asas nas patas traseiras.
  • Choristodera (165-20 M.a.) répteis pequenos e inofensivos, viviam na água, assemelhavam-se a plessiossauros ou a crocodilos.
  • Trilophosauria (250-200 M.a.) répteis pequenos que andavam com as patas lateralmente assemelhavam-se a grandes lagartixas lentas.
  • Aetosauria (235-200 M.a.) répteis que andam com as patas lateral ou verticalmente e possuem uma armadura óssea que lembra a dos dinossauros anquilossauros.
  • Phytosauria (230-200 M.a.) répteis semelhantes a crocodilos, mas alguns, como o Belodon tinha a ponta do focinho curva.
  • Rauisuchia (250-200 M.a.) répteis quadrúpedes, ou semi-quadrúpedes, carnívoros com mandíbulas poderosas para derrubar outros répteis como terapsídeos e dinossauros.
  • Rhynchosauria (245-230 M.a.) répteis com dentes de roedor, provavelmente adaptados a viver no subterrâneo ou à noite.
  • Pterosauria (230-65 M.a.) répteis voadores com asas membranosas e uma variedade de tamanho, desde 25 centímetros de envergadura até 13 metros de envergadura.
  • Ornitischia (230-65 M.a.) dinossauros com pélvis semelhante à das aves, constitui os estegossauros, anquilossauros, paquicefalossauros, ceratópsios e ornitópodes. Os Saurischia não estão incluídos nesta lista, porque segundo a classificação filogenética, eles não estão extintos (as aves continuam a sua linhagem até hoje.


Vídeos sobre répteis:


Um vídeo sobre o mundo do antepassado réptil dos mamíferos:


















Um vídeo que mostra um Microraptor à caça de um réptil planador:


















Aqui temos um vídeo que mostra acerca do mundo marítimo do Jurássico:


















Um vídeo que mostra o mundo dominado por répteis no período Triásico:



Um vídeo sobre um dos maiores crocodilomorfos de todos os tempos, o Sarcosuchus:



Um vídeo de dinossauros-aves:



Sem comentários:

Enviar um comentário