domingo, 31 de agosto de 2014

Galos

O galo-doméstico foi domesticado há cerca de 7000 anos ou mais, mas a espécie do galo (Gallus gallus) pode já ter rondado a Terra por cerca de 30 milhões de anos. O macho de Gallus gallus é o mais impressionante pela sua beleza, comportamento e crenças sociais.


O galo é, com certeza, o macho da galinha e as diferenças são nítidas: o macho possui uma enorme crista vermelha, esporões afiados nas patas, cores reluzentes, cauda magnífica e um chamado inconfundível. O galo juvenil é chamado de frango, galeto ou galispo.

O galo é muito agressivo com outros machos, desde pequenos que os frangos machos se separam dos seus irmãos e daí adiante o galo defende ferozmente o seu território.



Os galos cantam de 3 em 3 horas, ou de 5 em 5 horas, para demarcar o seu território. Ao nascer do sol o galo canta para avisar ao seu grupo de que ainda está vivo e que continua no comando e também serve para avisar potenciais intrusos.

Os galos também costumam cantar quando ouvem o canto de outro galo, criando um duelo de cantos!



Aqui mostramos as principais características que diferem o galo da galinha:

  • Crista maior
  • Esporões nas patas (úteis na luta com outros galos)
  • Penas brilhantes no pescoço, costas e asas
  • Penas da cauda mais compridas (as maiores jamais registadas tinham uns 10,6 metros, as maiores penas de todas as aves!)
  • O macho é certamente maior do que a fêmea
  • O canto é inconfundível: o famoso cocórococó








Aqui temos um vídeo da estrondosa luta dos galos:


















Curiosidades sobre galos:

Estudos moleculares de tecidos moles de um T-rex fossilizado demonstraram uma enorme semelhança com a galinha. Provavelmente, o parente actual mais próximo do famoso Tyrannosaurus rex seja o galo e a galinha! Bem, aquele vídeo também parecia mostrar dois ferozes dinossauros numa luta pelo território...

As lutas de galos são umas das mais demoradas e mais sangrentas de todas as aves, por vezes levando à morte de um dos machos!

Sem comentários:

Enviar um comentário