domingo, 16 de março de 2014

Cavalos-marinhos

Os cavalos-marinhos são um grupo de peixes singular que pertence à família Syngnathidae. Existem várias espécies de cavalos-marinhos, mas as mais conhecidas pertencem ao género Hippocampus.

Existem 31 espécies de cavalos-marinhos do género Hippocampus:

  • Hippocampus algiricus
  • Hippocampus angustus
  • Hippocampus barbouri
  • Hippocampus borboniensis
  • Hippocampus breviceps
  • Hippocampus camelopardalis
  • Hippocampus capensis
  • Hippocampus comes
  • Hippocampus coronatus
  • Hippocampus denise
  • Hippocampus erectus
  • Hippocampus fisheri
  • Hippocampus fuscus
  • Hippocampus guttulatus
  • Hippocampus hippocampus
  • Hippocampus ingens
  • Hippocampus jayakari
  • Hippocampus kelloggi
  • Hippocampus kuda
  • Hippocampus lichtensteinii
  • Hippocampus minotaur
  • Hippocampus mohnikei
  • Hippocampus patagonicus
  • Hippocampus reidi
  • Hippocampus sindonis
  • Hippocampus spinosissimus
  • Hippocampus subelongatus
  • Hippocampus trimaculatus
  • Hippocampus whitei
  • Hippocampus zebra
  • Hippocampus zosterae


Hippocampus algiricus vive na costa oeste de África.


Não é muito comum ver este exótico cavalo-marinho nos recifes da África Ocidental.
Alimenta-se exclusivamente de plâncton e de pequenos crustáceos. A sua "tromba" é na verdade 2 maxilares proeminentes que só se abrem na ponta. Por isso precisa de "debicar" a água para apanhar os crustáceos, como uma ave.
As suas barbatanas são muito reduzidas.



O Hippocampus angustus vive na Austrália.


O cavalo-marinho nativo do continente australiano que aparece na imagem é o Hippocampus angustus, ou cavalo-marinho-de-barriga-estreita.
Normalmente este peixe ósseo encontra-se em regiões de mar aberto, perto das costas. Nos recifes onde habita encontra os crustáceos e plâncton de que se alimenta. As suas presas têm de ter um melhor desenvolvimento em águas límpidas e não poluídas. Por isso esses tipos de águas são os melhores locais para o procurar.
A sua coloração pode variar do branco, laranja e amarelo ou alguns padrões diferentes. A movimentação do cavalo-marinho-de-barriga-estreita é muito lenta! Apesar de a gente ver cavalos-marinhos a fazerem corridas intrépidas nos desenhos animados, os cavalos-marinhos são de facto os peixes mais lentos do mundo!



O Hippocampus barbouri é uma espécie ameaçada.

Sem imagem. É branco e beje e gosta de se refugiar nos recifes mais antigos de todos: os da Indonésia e Malásia. Também se encontram ao largo da costa das Filipinas. Vive em pradarias subaquáticas que são normalmente compostas por algas e outras plantas. Está em estado de "vulnerável", pois os pescadores ainda introduzem cianeto, um composto químico letal que mata os corais, para poder matar e comer os peixes! O cavalo-marinho não é um petisco, mas é afectado tal como os outros.


O Hippocampus borboniensis é nativo dos recifes da África Oriental.


Este é também chamado de cavalo-marinho-da-Reunião. Encontra-se em recifes de Madagáscar, Maurícia, Moçambique, África do Sul, Tanzânia e Reunião (olha que surpresa).
Vive em recifes coralinos e pradarias subaquáticas. Ainda não lhe definiram um estado de conservação próprio por isso lhe deram o estatuto de "dados insuficientes". No entanto isso pode significar uma ameaça para o peixe. Se não há dados suficientes é porque há poucos exemplares conhecidos e muito provavelmente pode significar a proximidade com a lista de animais extintos!




O Hippocampus breviceps, ou cavalo-marinho-nodoso, é nativo das águas tropicais da Austrália.









Vive em mar aberto, mar costeiro, pradarias aquáticas, recifes de coral, águas estuarinas, zonas intertidais, lagoas costeiras de água salgada e sistemas cársticos.
O seu estatuto é "dados insuficientes".









O Hippocampus camelopardalis, ou cavalo-marinho-girafa, vive nas costas da África Oriental.



Não é preciso ser muito inteligente para saber a razão do seu nome. Eles alimentam-se exclusivamente de pequenos crustáceos e camarões. Cientistas analisaram o dia-a-dia de um cavalo-marinho e descobriram que chega a comer 3000 camarões e crustáceos por dia!
Mede entre 6,5 a 10 centímetros de comprimento. Vivem na Tanzânia, Moçambique e África do Sul.




O Hippocampus capensis, ou cavalo-marinho-do-Cabo, é endémico da África do Sul.









Esta é uma espécie ameaçada de cavalo-marinho. Está no estatuto de "em perigo".











O Hippocampus comes, ou cavalo-marinho-cauda-de-tigre, vive nos recifes do Sudeste Asiático.



Vive na Índia, Indonésia, Malásia, Filipinas, Singapura e Vietname. É muitas vezes encontrado aos pares. Pode medir cerca de 18 centímetros e pode viver até aos 3 anos. Ele suga os crustáceos e pequenos invertebrados a partir do seu focinho.
As fêmeas de todos os cavalos-marinhos põem os ovos no ventre do macho. Depois de estes eclodirem, as crias saem da barriga do macho e nadam à deriva! Se ficarem com o pai este irá comê-los!





O Hippocampus coronatus, ou cavalo-marinho-coroado, vive no Japão.









Os seus habitats naturais são pradarias subaquáticas subtidais.











O Hippocampus denise, ou cavalo-marinho-pigmeu-de-Denise, vive no Sudeste Asiático e ilhas do Pacífico.

Sem imagem. É um dos mais pequenos e tem uma cor rosa-alaranjada. É um mestre da camuflagem, pois também tem umas verrugas no seu corpo que lhe permitem esconder-se facilmente entre as ramagens dos corais.


O Hippocampus erectus, ou cavalo-marinho-forrado, está ameaçado de extinção nas costas do Caribe e Brasil.






Esta imagem é de um cavalo-marinho-forrado do Oceanário de Vancouver, Canadá.









O Hippocampus fisheri, ou cavalo-marinho-de-Fisher, encontra-se no Pacífico, desde a Austrália aos Estados Unidos.





É um parente próximo do Hippocampus comes.








O Hippocampus fuscus, ou pónei-marinho, vive no Oceano Índico.







Este cavalo-marinho é nativo de Djibouti, Índia, Arábia Saudita, Sri Lanka, Madagáscar, Maurícia, Reunião e África do Sul.









O Hippocampus guttulatus, ou cavalo-marinho-de-focinho-longo, vive no Oceano Atlântico.







Vive na Croácia, Chipre, França, Grécia, Itália, Malta, Marrocos, Holanda, Espanha, Reino Unido e Senegal. Também vive em Portugal, sendo um dos poucos cavalos-marinhos nativos do nosso país.









O Hippocampus hippocampus, ou cavalo-marinho-de-focinho-curto, vive também nas costas europeias.







Encontra-se facilmente nos Açores, Canárias e Noroeste da Península Ibérica. Foi encontrado um exemplar no rio Tamisa, Reino Unido.










O Hippocampus ingens, ou cavalo-marinho-do-Pacífico, vive na costa leste do Pacífico.





Vive na Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, México, Panamá, Peru e Estados Unidos.







O Hippocampus jayakari, ou cavalo-marinho-de-Jayakar, vive nos mares do Médio Oriente.






Vive em Israel, Omã e Paquistão.









O Hippocampus kelloggi, ou grande-cavalo-marinho, vive no Oceano Índico.






Vive na Austrália, China, Índia, Indonésia, Japão, Paquistão, Filipinas, Taiwan, Tanzânia e Vietname.









O Hippocampus kuda vive no Oceano Pacífico e no Oceano Índico

Sem imagem. Tem uma cor amarelo-esverdeado. Vive na Austrália, Fiji, Polinésia Francesa, Hong Kong, Índia, Indonésia, Japão, Malásia, Micronésia, Nova Caledónia, Paquistão, Papua Nova-Guiné, Filipinas, Singapura, Ilhas Salomão, Taiwan, Tailândia, Tonga, Estados Unidos da América e Vietname.


O Hippocampus lichtensteinii, ou cavalo-marinho-de-Lichtenstein, vive no Oceano Índico.






Vive na costa oeste do Índico, incluindo no Mar Vermelho.








O Hippocampus minotaur, ou cavalo-marinho-pescoço-de-touro, vive só na Austrália.

Sem imagem. É um cavalo-marinho muito engraçado. O seu pescoço é grosso como o de um touro, mas é um mini peixinho! Tem uma barriga redondinha e uma cauda muito fina.


O Hippocampus mohnikei, ou cavalo-marinho-japonês, encontra-se na costa leste da Ásia.






Vive no Japão, Camboja, China, Tailândia e Vietname.








O Hippocampus reidi, ou cavalo-marinho-delgado, vive na costa atlântica da América.

Vive nas Bahamas, Barbados, Belize, Bermudas, Brasil, Colômbia, Cuba, Granada, Haiti, Jamaica, Panamá, Estados Unidos da América e Venezuela.
Os seus olhos movem-se independemente, ao estilo do camaleão, tal como todos os outros cavalos-marinhos.
O nome em inglês é "slender seahorse". O nome "slender" significa "delgado", mas depois do jogo "Slenderman" ficamos com a impressão de ser um cavalo-marinho parecido com esta figura monstruosa.


O Hippocampus sindonis, ou cavalo-marinho-de-Shiho, vive só no Japão.








É endémico do arquipélago do Japão e talvez pode existir também na Coreia do Sul, China e Rússia.










O Hippocampus spinosissimus, ou cavalo-marinho-ouriço-cacheiro, vive no Oceano Índico e Pacífico.








Distingue-se facilmente pelos pequenos espinhos que tem no dorso. Vive na Austrália, Indonésia, Malásia, Filipinas, Singapura, Sri Lanka, Taiwan, Tailândia e Vietname.









O Hippocampus subelongatus, ou cavalo-marinho-focinho-de-tigre, vive só na Austrália.

Sem imagem. É vermelho-acastanhado e é raro.


O Hippocampus trimaculatus, ou cavalo-marinho-de-cara-plana, vive no Oceano Índico e Pacífico.







Não é um nome tão apropriado. Vive na Austrália, Ilhas Coco, Polinésia Francesa, Hong Kong, Índia, Indonésia, Japão, Filipinas, Singapura, Taiwan, Tailândia e Vietname.










O Hippocampus whitei, ou cavalo-marinho-australiano, vive na Oceânia.

Sem imagem. É branco, pequeno e tem uma espécie de crista óssea. Vive na Austrália e nas Ilhas Salomão.


O Hippocampus zebra, ou cavalo-marinho-zebra (que surpresa), vive só na Austrália.

Sem imagem. Como seria de esperar tem riscas como a zebra. Mas ao contrário da zebra, o cavalo-marinho é preto com riscas brancas e não branco com as riscas pretas.


O Hippocampus zosterae, ou cavalo-marinho-anão vive na costa atlântica da América do Norte.

Sem imagem. É pequeno, esbranquiçado e muito parecido com o cavalo-marinho-ouriço-cacheiro. Vive nas Bahamas e Estados Unidos da América.


Curiosidades sobre cavalos-marinhos:

Existem outros tipos de cavalos-marinhos. Eles pertencem à família Syngnathidae que tem mais outro género: Histiogamphelus. Esse género contem os dragões-marinhos-das-algas que se camuflam impressionantemente nas algas.

Os parentes mais próximos dos cavalos-marinhos são os peixes-agulha. Pertencem ambos à mesma família. Os peixes-agulha são esguios e têm um focinho longo com dentes para apanharem as presas e são muito velozes (enquanto que os cavalos-marinhos só vão a 0,01 km/h)! São comestíveis e muito bons, mas alguns até têm nojo porque estes têm espinhas verde-azuladas. Os cientistas ainda não conseguiram explicar isto.

Aqui temos um vídeo em que um macho de cavalo-marinho liberta os seus bebés da barriga, depois de eclodirem dos seus ovos:





2 comentários:

  1. Uau! Adoro cavalos marinhos, são curiosos, impressionantes e lindos!

    ResponderEliminar
  2. Sim, é verdade que os cavalos-marinhos são peixes muito lindos. Continue a seguir o meu blog, porque as curiosidades continuam a ser numerosas.

    Miguel Evaristo

    ResponderEliminar