domingo, 11 de agosto de 2013

Moluscos

Os moluscos são animais invertebrados maioritariamente aquáticos, apesar de haver espécies terrestres.

A maior parte tem conchas bivalves ou univalves. Exemplos são os Caudofoveata, quítones, ostras, mexilhões, Scaphopoda, lulas, náutilos e caracóis.

O filo dos Molusca tem 10 classes, 2 delas extintas:

  • Caudofoveata (habitam águas profundas)
  • Aplacophora (parecidos com minhocas)
  • Polyplacophora (quítones)
  • Monoplacophora (habitam os fundos oceânicos)
  • Bivalvia (ostras, amêijoas, mexilhões, conquilhas)
  • Scaphopoda (com concha carbonatada aberta dos 2 lados)
  • Gastropoda (de concha univalve como caracóis, lesmas e lapas)
  • Cephalopoda (polvos, lulas e náutilos)
  • Rostroconchia (extintos, provavelmente antepassados dos bivalves)
  • Helcionelloida (extintos, parecidos com caracóis)


Os Caudofoveata têm aspecto vermiforme e escondem-se no lodo do fundo do mar.





Estes moluscos não são os únicos com aspecto vermiforme.














Os Aplacophora são mais comuns e mais coloridos.






A classe Scaphopoda (na parte de cima) e a classe Aplacophora (na parte de baixo).








Os Polyplacophora constituem os quítones.

 


Os quítones são moluscos univalves que se agarram às rochas e são muito difíceis de se retirarem (se o quiserem fazer).
São necrófagos, alimentando-se de restos de animais e plantas. Eles também têm um papel importante no controle da população de cianobactérias.






Os Monoplacophora são um pouco parecidos com os quítones.







São univalves. Estes moluscos já foram considerados como extintos, mas um deles foi capturado em 1896. A espécie era Verolipilinia zografi.
Tal como os quítones são necrófagos e controlam a população das cianobactérias.












Os Bivalves são moluscos de concha bivalve (concha dividida em 2).
Um exemplo é a ostra.


Se entrar um grão de areia para dentro da ostra ela reveste-o com um muco que ajuda a que o grão não a magoe. A isso chama-se pérola. A maior pérola pertencia a uma amêijoa-gigante e pesava 8 kg!
Um dos predadores da ostra é o ostraceiro, uma ave limícola que usa o seu bico para abri-las.








A amêijoa é um dos pratos favoritos da mais variada gama de animais!



As amêijoas têm aspecto delicioso, mas elas são necrófagas. Imagine estar a comer qualquer coisa com restos de animais e plantas no interior a decomporem-se... nada de pânico.
As amêijoas acasalam de forma assexuada, o macho liberta os espermatozóides e as fêmeas libertam os óvulos. Daí forma-se uma nova amêijoa.




O mexilhão é outro tipo de bivalve que se agarra fortemente às rochas.

O mexilhão é um prato que faz crescer água na boca para os fanáticos por marisco. Mas estes bivalves protegem-se em grandes grupos nas rochas das praias tornando a captura destes moluscos difícil. Os que estão mais no meio estão mais protegidos. Os que estão mais para o exterior são arrancados facilmente pelas pessoas e outros predadores. Os mexilhões, para além de serem necrófagos, alimentam-se dos açúcares que as algas que cobrem o seu corpo lhe recebem enquanto fazem a fotossíntese.
 
 
As conquilhas são outros bivalves que se assemelham às amêijoas.
 
As conquilhas são tão bons como as amêijoas. Os seus hábitos alimentares e reprodução são muito semelhantes.
 
 
Os Scaphopoda são moluscos que se refugiam numa concha comprida como uma tromba.
Quem quiser saber mais sobre a anatomia dos Scaphopoda vejam aqui.
 
Os Scaphopoda são mais aparentados com os Gastropoda, pois têm concha univalve.
 
 
 
Os Gastropoda são muito conhecidos. Aqui temos algumas espécies.
 
Os gastrópodes constituem vários exemplos.
Os caracóis e as lesmas respiram ar e a maior parte alimenta-se de plantas. O caracol-gigante-africano é tóxico, por isso não se deve comer. No entanto habitou-se a comer e ingerir cimento! Também é o maior caracol terrestre do Mundo.    
A lesma-banana é amarela e vive na América do Norte. Esta cor afugenta os predadores e ela alimenta-se de musgo e plantas que ameaçam a existência das sequóias, que coexistem com a lesma. 
As lesmas-marinhas evoluíram cores variadas para afugentar os predadores. Desenvolveram venenos para matar os intrusos e até atacam alforrecas mortíferas, roendo os tentáculos e a câmpanula.
O cone é um caracol-marinho que usa o sifão (um tubo de respiração) para capturar as presas, graças a um arpão venenoso. Felizmente só existe nas costas da Austrália.
O búzio-gigante é um colosso entre os Gastropoda. Chega quase a 1 metro!
A lapa também é um Gastropoda, pois tem uma concha univalve e não bivalve.
 
 
 
Os Cephalopoda também são um grupo muito variado.
Por exemplo a lula.
 
Existem várias espécies de lulas. A lula-vampiro que tem barbatanas semelhantes a grandes orelhas que lembram a cabeça de um morcego. A lula-de-humbolt que mede 2 metros, caça em grupo, é muito curiosa, tem uma dentada de 400 kg e é super-agressiva! A lula-de-humbolt já atacou mergulhadores (não sei se já houveram casos de morte). De todas a que me deixa mais impressionado é a lula-gigante. Com quase 15 metros de comprimento e 450 kg no máximo é o maior molusco de todos! O primeiro relato da existência deste monstro foi provavelmente de um cadáver encontrado no estômago de um cachalote ou de um pedaço morto de lula a flutuar entre os cetáceos. Só recentemente se filmaram lulas-gigantes vivas, mas pouco se sabe acerca delas. Sabe-se que são realmente tímidas e geralmente não se aproximam para inspecionar os rovers, como acontece com a lula-de-humbolt, e também não sobrevivem à baixa pressão da superfície. Sendo assim nunca ninguém viu uma lula-gigante viva a olho nu.
 
Outro cefalópode é o polvo.
 



O polvo-de-anéis-azuis é um exemplo australiano. Este polvo pode ter 10 centímetros de comprimento. No entanto não se dve tocar, pois transmite um veneno mortal que mata rapidamente.
O polvo-gigante-do-Pacífico é o maior de todos com 5 metros. Mas é muito gentil, deixando que se aproximem.
Os polvos são muito inteligentes resolvendo cálculos matemáticos, comunicando entre si, aprendendo com os outros, atravessando labirintos e arranjando quaisquer maneiras de escapar de locais onde está preso e de arranjar comida. Isso não é de admirar, pois possui 9 cérebros, 3 corações a tal ponto que é quase tão inteligente como um cão.
Os polvos também são muito protectores da sua prole. A fêmea não deixa os ovos nem por um segundo, nem mesmo para se alimentar. Areja os ovos constantemente, até que morre de fome. A partir daí as crias nascem e partem para longe.
 
O náutilo é mais primitivo.
 
O náutilo tem uma concha externa, o único Cephalopoda com esta característica.
Tem cerca de 90 tentáculos. Este Cephalopoda é muito semelhante às amonites, hoje extintas, com uma concha semelhante. Tem um bico forte para partir a carapaça dura das suas presas.





A extinta classe dos Rostroconchia desapareceu há 250 milhões de anos na extinção massiva do Pérmico.

Esta rocha contém trilobites, espécies que conviveram com os Rostroconchia. Provavelmente os Rostroconchia foram os antepassados dos bivalves.












Os Helcionelloida também são uma classe extinta.
















Os moluscos assim são criaturas impressionantes que fazem parte da nossa imaginação, alimentação e também parece que nos ajuda a olhar para o passado!

Sem comentários:

Enviar um comentário